A onda da esgotosfera nessa semana de impeachment foi postar uma carinha de vômito nas páginas do PMDB. Depois das sucessivas lapadas na orelha que os petistas tomaram tentando impedir o inevitável, foi a isso que a esquerda se resumiu. Outro mote do momento é “eu votei na Dilma, não no Temer”. Você tem certeza que não votou no Temer?

Em outros tempos, na terra onde se plantando tudo dá, votava-se separadamente para presidente e vice-presidente. Haviam coligações, mas o voto era individual e não na chapa, como é hoje. Esse tipo de sufrágio abria a possibilidade de um resultado complexo do ponto de vista político: a eleição de presidente e vice-presidente de coligações distintas. Bolsonaro presidente, Jean Uiui vice. “Já avisei que vai dar merda isso”, diria o Capitão Nascimento.

Não deu em 1950 nem em 1955, quando ambos eleitos, presidente e vice, pertenceram à mesma coligação. Mas em 1960 deu Lei de Murphy na cabeça. Com uma plataforma moralista e de combate à corrupção (varre vassourinha), vindo de uma carreira curta e meteórica, Jânio Quadros foi eleito presidente com 5,6 mi de votos. Marechal Lott foi derrotado para a presidência, mas sua coligação elegeu o vice-presidente João Goulart, com 4,5mi de votos. Jânio teve ampla maioria de votos: 1,8 mi a mais do que Lott e 1,1 mi a mais do que Goulart. Goulart teve apenas 300 mil a mais do que o vice da chapa do Jânio.

Jânio governou por 7 meses. Fraco, doido de pedra, não só traiu os anseios dos seus eleitores como tripudiou em algumas ocasiões, por exemplo, quando recebeu Che Guevara com honras militares em Brasília e condecorou o comunista com a Ordem do Cruzeiro do Sul. Renunciando Quadros, Goulart assume a presidência, e leva pro governo toda curriola comunista que apoiou sua campanha, aumentando ainda mais a insatisfação do amplo eleitorado que elegeu Jânio Quadros. Soma-se a isso a crescente aproximação com Cuba e URSS e a presença da guerrilha em solo nacional a partir de 1961, e dá pra entender por que chegamos em abril de 1964.

Mas, enfim, o que eu queria mostrar é que o nosso sistema eleitoral mudou para o sistema de chapas (presidente/vice) exatamente para evitar que esse tipo de situação caótica se repetisse. Então, não adianta ficar com essa besteira de “não votei no Temer” porque VOCÊ VOTOU SIM. Ele foi eleito com o seu voto, é legítimo, e não há nada de errado no sistema eleitoral.(Deus! Acho que estava pensando nos Teletubies quando escrevi isso)

Errado é você que não tem escrúpulos, que aceitou levar o PMDB pra cama porque precisava do apoio político dele pra governar e fechou os olhos pra todo o resto. Você, que achava que valia tudo pra impedir que o Aécio ganhasse, agora está querendo lavar as mãos? Não vai vomitar não, vocês tem que engolir o Temer sim! E digo mais: vocês serão mais responsáveis pelos erros que ele cometer do que eu, que não votei nele.