Em 2012 publiquei na internet um artigo intitulado PSDB contra PT: uma falsa dicotomia uma oposição inventada, que você pode conferir aqui. Na época, escrevi pensando nos conservadores e liberais que ainda acreditavam que o PSDB –  especialmente a cúpula do partido – estava comprometido com a defesa de valores de direita.

Mostrei, em documentos oficiais do PSDB, a concordância do partido com bandeiras socialistas e alertei para a necessidade de construirmos uma oposição de fato ao projeto de poder petista.

tucano2De lá pra cá muitas águas já rolaram, e conforme foi ficando mais clara a necessidade imediata de uma oposição de verdade, mais o PSDB demonstrou que esse papel não cabia a ele.

Fato marcante foi a frase de Aécio Neves, referindo-se às primeiras manifestações de rua contra o PT em novembro de 2014: “não adianta me empurrarem para a direita que eu não vou”. Foi naquele momento que consumou-se a traição de Neves e da cúpula do PSDB, e não agora, com a recusa do impeachment e o esvaziamento da Marcha pela Liberdade.

Estes últimos dois fatos, a essa altura do campeonato, não deveriam ter pego ninguém de surpresa:  se combater o projeto totalitário do PT, como pede o povo nas ruas, é estar à direita; e se o presidente nacional da legenda e a cúpula tucana desprezam esse posicionamento; logo, o combate ao PT, como clama o povo, não interessa ao PSDB.

Que fazer com o PSDB, então? Tenho 4 sugestões:

1) Romper com o ciclo de histeria. Encarar o PSDB pelo que ele é, e não pelo que nossos inimigos dizem que ele é, ou pelo que nós gostaríamos que ele fosse. Sem a interpretação correta do papel do PSDB no cenário atual, o resto não faz sentido.

2) Pressão popular sobre o partido. A direita tem sido muito condescendente para com os desvios da cúpula tucana. Depois de tudo o que disseram e fizeratucano3m FHC, Aécio, Álvaro Dias, entre outros, devemos pressioná-los via panelaços, protestos de rua e constrangimento público SIM! Não temos nada a perder acuando o PSDB: o PT fez isso durante anos e veja o que eles conquistaram.

3) Empurrar pra direita 1: de fora pra dentro. Identificar os tucanos (parlamentares, dirigentes, intelectuais) alinhados com as vontades do povo e apoiá-los, denunciando e pressionando aqueles comprometidos com o jogo político atual. Cristalizar a idéia de que apenas alguns indivíduos isolados no PSDB trabalham a favor do povo, enquanto a cúpula do partido trabalha contra o povo. Ou seja: propagar a verdade.

4) Empurrar pra direita 2: de dentro pra fora. Dez pessoas treinadas e disciplinadas são capazes de ocupar o diretório municipal do PSDB, em uma cidade de 100 mil habitantes, no prazo de 2 a 4 anos. É um trabalho de longo prazo, que exige persistência e estômago, mas cujos resultados seriam impactantes e duradouros. A tomada de 10 diretórios estratégicos do PSDB já seria o bastante para colocar uma voz na executiva nacional do partido.

tucano1Resumindo, não há motivos para fazer do PSDB um bem precioso e único que deve ser preservado e protegido pela oposição (povo). Muito pelo contrário!

Com a mesma finalidade de uma camisinha, o PSDB deve ser usado pelo povo contra o PT. Cumprindo o seu propósito ou mostrando-se incapaz de cumprí-lo, deve receber o mesmo destino reservado a uma camisinha usada.

Queira o senhor Aécio ou não, ou o PSDB será empurrado para a direita ou será atirado à lata de lixo da história.