O Dr. Romeu Tuma Jr. publicou na sua página no Facebook o artigo intitulado “O controle político da atividade policial como meio inibidor da capacidade de investigação“, de autoria de Ivenio Hermes, e publicado no site da Federação Nacional do Policiais Federais. Este artigo confirma as estarrecedoras denúncias feitas pelo Dr. Tuma Jr.  no programa Roda Viva do dia 03/02/2014, quando o mesmo apresentou as dimensões do Estado Policial que foi implantado no país sob ordens da corja petista no governo federal.

O artigo de Ivenio Hermes mostra que a Polícia Federal está sofrendo um controle político por parte do governo. Uma mudança no procedimento interno do órgão faz com que a abertura de investigações agora passem por um filtro político, onde agentes são chamados para prestar esclarecimento quando iniciam investigações que envolvem pessoas de evidência política.

Esse tipo de filtragem política implantada na PF praticamente paralizou o combate a “crimes do colarinho branco”, como lavagem de dinheiro e peculato (desvio de dinheiro por funcionário público). Os dados no artigo mostram uma queda vertiginosa no número de indiciados por estes crimes nos últimos 7 anos, como mostra o gráfico abaixo.

Indiciados-PF Fonte: http://iveniohermes.com

A partir do gráfico, notamos que, entre 2007 e 2013:

[box type=”info”] O número de indiciados por lavagem de dinheiro diminuiu 89%;

O número de indiciados por desvios em prefeituras diminuiu 88%;

O número de indiciados por peculato diminuiu 83%.[/box]

A PF praticamente parou de investigar esses crimes. Ou pior: investiga, mas não indicia os “amigos do rei”. Convenientemente, essa queda no número de indiciados coincide com a ascensão do número de políticos petistas eleitos prefeitos, vereadores e outros cargos eletivos por todo país, conforme mostrei em outro artigo.

Ou seja: o PT hoje controla a ampla maioria da verba pública do país, ao mesmo tempo em que também controla e instrumentaliza o principal órgão nacional responsável pelo combate a crimes de mau uso do dinheiro público. O resultado não poderia ser outro senão a institucionalização da corrupção em todas as esferas da vida nacional.

Enquanto os petistas – tanto o alto escalão quanto a militância histérica – e a mentalidade revolucionária esquerdista – que justifica e glorifica os crimes e criminosos revolucionários – não forem extirpados cirurgicamente dos cargos de comando do país, este Estado Policial irá crescer, e junto com ele a corrupção e o crime organizado, nos gabinetes e nas ruas.