Nota do Editor: Desejamos a todos um ótimo 2016!!!

Conforme prometido pelo título, vamos direto ao ponto: o Brasil é uma civilização que deu errado. Não digo sociedade, porque quero representar um conceito mais amplo. Ou pelo menos fugir do chavão clássico. Refiro-me a uma cultura como um todo. Ou à ausência completa de uma: um povo aglomerado sobre um território.

Note bem. Quais os valores brasileiros? Quais os heróis de guerra? Os grandes poetas? Escritores? Compositores?
Se você conseguiu alguma resposta que não tenha sido fabricada pela nossa belíssima classe acadêmica, meus parabéns. Mas aposto que a sua resposta ou está errada ou é alguém que nada mais representa de significativo. Poderia, por exemplo, citar grandes homens como o Brigadeiro Rui Moreira Lima, combatente da FAB na Segunda Guerra Mundial. Quem se lembra dele? Pior, quem sabe quem ele foi? Olhe para nossa música. Quando um sujeito chamado Wesley Safadão é a pessoa mais popular desse gênero cultural dá pra ter uma ideia do buraco que estamos enfiados.

Adiante. Enumere os princípios que guiam o povo brasileiro. Se ela possui bons valores, compare com a criminalidade que temos hoje. O Brasil virou uma mistura de apocalipse zumbi com Mad Max. Imagine Mad Max onde os punks são usuários de crack. Pronto.

Não caia na ilusão de pensar que vivemos uma crise política ou econômica, prezado leitor. Estamos com um problema muito maior que esse. Sem religião, sem valores, sem história. Sem nada de humano para se apegar. O Brasil virou o palco da maior miséria humana da história. Agora é ladeira abaixo. Isso aqui vai se desintegrar no caos completo.

Isso sem contar que somos o povo mais covarde da história do mundo. Até agora tem idiotas que ficam tentando a neutralidade. “Mas olhe os grandes intelectuais de esquerda”, me dizem. Amigo, não existem intelectuais de esquerda: existem criminosos que sabem um pouco de idioma. E o tempo de ‘debater ideias’ acabou. Quem ficar de conversinha vai ser engolido em pleno combate. É por isso que eu não discuto mais política, eu mando à merda de uma vez. Cansei de explicar as coisas duas, três, mil vezes. Cansei de tanta gente covarde e burra.